Arquivo em Maio 2019

Como Medir Conversões Offline?

conversões offline

Se o seu negócio mede conversões mas a sua conversão final acontece no offline, precisa implementar esta estratégia.

Tradicionalmente, muitos clientes 100% offline fazem, também, media paga no digital.

Contudo, apesar de recolherem os contatos prospects, muitos deles, ficam sem saber quantos destes converteram no offline.

Através do Google Ads, fazendo o tracking de conversões offline, consegue saber quantas pessoas, impactadas pelas suas campanhas digitais, converteram offline.

Este sistema, que gera um gclid via Google, adicionando o auto tagging no Google Ads, precisa cruzar informação com o CRM interno.  

Para funcionar, é necessário que seja adicionado à sua conta de Google Ads.

Desta forma, a magia acontece.

Uma vez que o parâmetro de gclid capturado pelo seu CRM (idealmente Salesforce) e o seu cliente visitando uma das suas lojas, consegue identificar quem, impactado pelos anúncios, foi até à sua loja e converteu.

Logo, se antes otimizava campanhas através do número de leads recolhidos no digital, agora, otimiza tendo em conta conversões offline.

Esta medição é mais fiável e descreve o percurso desejado pelos seus prospects – que se tornem clientes.

Consegue assim ter a visão de uma conversão omnichannel e, mais do que isso, começar a trabalhar em métricas como:

1- LTV

2- Tempo Médio de conversão

3- Customer Acquisition Value

Fazendo o setup da offline conversion via Google Analytics, consegue importá-la para a sua conta de Google Ads e começar a Otimizar as suas campanhas de acordo com as conversões offline.

Este setup é denso… mas quem sabe, se não muda o seu Negócio.

O que é um Bounce Rate?

Um bounce rate é entendido pelo Google Analytics sempre que uma sessão é gerada sem que nenhum evento tenha ocorrido.

O valor dos insights que obtemos no Google Analytics está diretamente relacionado com o Investimento que cada um faz na colecta de dados, online e offline.

Uma das métricas que mais salta à vista e virou jargão entre os marketeers é a análise do bounce rate.

Talvez porque é uma das métricas que obtemos quando consultamos a página inicial do Google Analytics.

Mas muitos falham acerca do que é o entendimento de um bouce rate.

Um bounce rate é entendido pelo Google Analytics sempre que uma sessão é gerada sem que nenhum evento tenha ocorrido.

Mas… não é assim tão estanque.

Quando um visitante entra numa página e sai sem concretizar nenhuma ação. Isto é um bounce.

Assim, um bounce rate elevado resulta, na maioria dos casos, de falta de contexto na medição.

Ou seja, da falta de eventos criados no Google Analytics que meçam a interação de um utilizador no site.

Ao definirmos eventos, como scroll down, tempo na página, visualização de vídeo, a nossa taxa de rejeição ganha contexto e…

diminui abruptamente.

Logo, taxas de rejeição de 90% means nothing.

Desta forma, só entendendo os KPI’s que vemos todos os dias nos dashboards de marketing, percebendo como funcionam e são calculados, configurando-os corretamente, podemos realmente extrair valor das nossas análises.

Agora que já sabe o que é um Bounce Rate, na hora de o analisar, saiba exatamente o que esse número reflecte.

Como Usar o Facebook Analytics para Expandir o seu Negócio

Um dos fundamentos de anunciar no Digital é poder medir os resultados e tomar decisões com base nesses dados.

Assim, quando não conseguimos acompanhar todos os resultados, caímos, frequentemente, no erro de recorrer a adivinhações.

Isto resulta em muitos gastos desnecessários com anúncios e concepções erradas para o seu negócio.

O Facebook, por exemplo, não considera as interações orgânicas que antecedem o clique no anúncio, tal como o Google Analytics, que “olha” para a aquisição sempre à luz do último clique, ignorando os touchpoints anteriores.

Já pensou, por exemplo, como o Gerenciador de Anúncios do Facebook e o Google Analytics, fornecem apenas peças diferentes do quebra-cabeça, mas não revelam a big picture?

Agora, pela primeira vez, podemos acompanhar os resultados de marketing orgânico e pago em vários dispositivos e sessões no que o Facebook diz ser a “primeira análise para um mundo omnichannel”. E como? Via Facebook Analytics.

3 Formas para Usar o Facebook Analytics para Expandir o seu Negócio

  1. Crie Funis para entender a jornada do cliente desde o 1º touchpoint até ao fim da jornada.
  2. Crie um report que olhe para as receitas do seu Negócio, nele terá a view demográfica dos seus clientes.
  3. E o mais poderoso: O relatório de Customer Lifetime Value

Com os passos referidos acima terá uma melhor visão sobre que insights começar a aplicar para expandir o seu negócio. Comece hoje!

Quero Investir em Digital. Por onde começo? Search ou Display?

Por onde começar quando investir no digital

Amigos e pequenos empresários têm sempre esta dúvida no momento em que pretendem, finalmente, começar a investir em campanhas Digitais.

A resposta a esta pergunta não é estanque, podia inclusive, responder: “Depende”. A verdade é que, Search e Display funcionam e têm intenções e objectivos distintos.

Se quer começar a Investir, comece pela Pesquisa.

E porquê?

A pesquisa para além de ser o canal por excelência com melhor ROI, é o que melhor capta a intenção.

Lembre-se que quando tem um problema, quer resolver um assunto ou tem uma dúvida, quem o vai ajudar?

A Pesquisa no Google. E, com isso, a intenção na pesquisa é substancialmente maior e é por isso que deve investir neste canal – o seu tráfego será amplamente mais qualificado e intencionado.

Se o serviço que oferece resolve um problema, facilita a vida de alguém ou simplesmente oferece um benefício é na pesquisa que precisa estar.

Lembre-se de pensar de que forma os seus clientes o procuram no momento da pesquisa e compre essas palavras-chave. Agora já sabe, quando começar a Investir em Digital, comece pela Pesquisa.

Agradeça-me depois.